quinta-feira, 21 de maio de 2009

A morte de Mario Benedetti

Pessoal,

Cheguei de viagem ao exterior nesta segunda e dei com a notícia da morte do Mario Benedetti. Não me conformo em só tê-lo conhecido há pouco tempo e portanto não ter experimentado suas palavras em outras fases de minha vida. Mas graças ao Minuto de Poesia - e em particular a Letícia, que me enviou vários e belos poemas em espanhol - mês passado havia começado a traduzi-lo para divulgar no programa. Tive a oportunidade de incluí-lo no Papel do Varal no final de abril com o poema "Ontem", que havia recebido de Elvira. E acabo de receber do Dowglas, outro amante da poesia, mais poemas dele, após sua morte. Alguns eram 'duplicata', como diria quando criança colecionava figurinhas, mas não resisti a traduzir 'Pasatiempo', imediatamente, e que compartilho na mensagem anterior. Mario Benedetti foi minha melhor surpresa poética nos últimos tempos. Pena que a morte não se importa com o sentimento dos outros.

4 comentários:

  1. Mauricio de Macedo21 de maio de 2009 09:22

    Ricardo :
    Como diz o dito popular :"Morre o homem,fica a fama".Morreu Benedetti,a sua poesia permanece,crescendo com o tempo.
    Um abraço do Maurício.

    ResponderExcluir
  2. Rico,

    Nao sabia que vc conhecia e gostava de Benedetti...eu o adoro e realmente pra nós uruguayos foi uma grande perda...
    Mas ele será eterno como su poemas e contos...
    Temos nos enviado mensagens e cel em sua homenagem que diz:

    " Es tan lindo saber que exites,uno se siente vivo y cuando digo esto no es para que vengas corriendo en mi auxilio, sino para que sepas que tú simpre puedes contar comigo."

    Bjo
    Laurita
    P.S. serao lançados 2 livros pos morte em set um de contos e outro uam novela vou te informando...

    ResponderExcluir
  3. Fiquei surpresa com a notícia....
    Vc viu q ele morreu no dia do seu niver????
    Te mandei esse poema dele?: Adoro, vc sabe!
    Bjos


    COMO SIEMPRE
    MÁRIO BENEDETTI



    Aunque hoy cumplas
    trescientos treinta y seis meses
    la matusalénica edad no se te nota cuando
    en el instante en que vencen los crueles
    entrás a averiguar la alegría del mundo
    y mucho menos todavía se te nota
    cuando volás gaviotamente sobre las fobias
    o desarbolás los nudosos rencores
    buena edad para cambiar estatutos y horóscopos
    para que tu manantial mane amor sin miseria
    para que te enfrentes al espejo que exige
    y pienses que estás linda
    y estés linda
    casi no vale la pena desearte júbilos y lealtades
    ya que te van a rodear como ángeles o veleros
    es obvio y comprensible
    que las manzanas y los jazmines
    y los cuidadores de autos y los ciclistas
    y las hijas de los villeros
    y los cachorros extraviados
    y los bichitos de san antonio
    y las cajas de fósforo
    te consideren una de los suyos
    de modo que desearte un feliz cumpleaños
    podría ser tan injusto con tus felices
    cumpledías
    acordate de esta ley de tu vida
    si hace algún tiempo fuiste desgraciada
    eso también ayuda a que hoy se afirme
    tu bienaventuranza
    de todos modos para vos no es novedad
    que el mundo
    y yo
    te queremos de veras
    pero yo siempre un poquito más que el mundo.

    ResponderExcluir
  4. "Não me conformo em só tê-lo conhecido há pouco tempo e portanto não ter experimentado suas palavras em outras fases de minha vida"

    Se você, caro Ricardo, já sente isso com a experiência que tem, avalie eu, que ainda tenho tanto a conhecer. Mas enfim, não se pode ser leitor de todos. Há poetas e Há palavras que morrerão sem ser lidos, eis uma verdade.

    ResponderExcluir