quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Bukowski - Azulão / bluebird

Animação baseada no poema Azulão (bluebird), do Bukowski.


Charles Bukowski

azulão

Tradução: Ricardo Cabús

em meu coração existe um pássaro um azulão que

quer sair

mas eu não permito,

eu digo, fique aí, eu não vou deixar

ninguém ver

você.

em meu coração existe um pássaro um azulão que

quer sair

mas eu dou uísque para ele e jogo

fumaça de cigarro

e as putas e as garçonetes

e as atendentes

nunca sabem que

ele está aqui dentro.

em meu coração existe um pássaro um azulão que

quer sair

mas eu não permito,

eu digo,

fique quieto, você quer

me ferrar?

você quer fuder meu trabalho?

você quer estragar a venda de meus livros na

Europa?

em meu coração existe um pássaro um azulão que

quer sair

mas eu sou sabido, eu só deixo ele sair

de vez em quando à noite

quando todo mundo está dormindo.

eu digo, eu sei que você está aí,

não fique

triste.

então eu coloco ele de volta,

mas ele ainda está cantando um pouco

aqui dentro, eu não deixei ele

morrer totalmente

e nós dormimos juntos desse

jeito

com nosso

pacto secreto

e isto é tão legal que

faz um homem

chorar, mas eu não

choro, e

você?

Charles Bukowski

bluebird

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I'm too tough for him,

I say, stay in there, I'm not going

to let anybody see

you.

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I pur whiskey on him and inhale

cigarette smoke

and the whores and the bartenders

and the grocery clerks

never know that

he's

in there.

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I'm too tough for him,

I say,

stay down, do you want to mess

me up?

you want to screw up the

works?

you want to blow my book sales in

Europe?

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I'm too clever, I only let him out

at night sometimes

when everybody's asleep.

I say, I know that you're there,

so don't be

sad.

then I put him back,

but he's singing a little

in there, I haven't quite let him

die

and we sleep together like

that

with our

secret pact

and it's nice enough to

make a man

weep, but I don't

weep, do

you?

16 comentários:

  1. Mis saludos desde Santiago de Chile, un agrado conocer este sitio leer-mirar este maravilloso video, muito obrigado, abrazo desde el sur de América,

    Leo Lobos

    ResponderExcluir
  2. o video traduz a singelez e docura do poema! lindo! obrigada
    selma vasconcelos- Academia de artes e letras do nordeste- Universidade de PE- recife

    ResponderExcluir
  3. Caros, Maria Olimpia, Leo e Selma, muito obrigado pela visita e pelos comentários. sejam bem-vindos.

    ResponderExcluir
  4. Poesia genial do mestre bukowksi, e com um video que sem palavras consegue passar a nós uma melancolia e afeição. Mostra os nossos azulões que todos nós temos.

    ResponderExcluir
  5. Gostei do poema. Mas o vídeo postado no blogspot perde um pedaço da imagem, é melhor assistir no youtube.

    ResponderExcluir
  6. Bonito e dolorido este azul, valeu Ricardo. gostei da tradução.
    beijos!

    ResponderExcluir
  7. Um descoberta. Do seu blog, do poema, do vídeo.Tradução de poeta traduzindo poeta. E o pássaro azul, mesmo com todo o esforço para escondê-lo ficou presente. É bom saber de sua existência

    ResponderExcluir
  8. Caro Ricardo, me encantei com este poema de Bukowski tão sensivelmente traduzido por ti. Que um pássaro azulão de vez em quando possa escapar de nossa vigilância! Fátima Barretto

    ResponderExcluir
  9. Olá...linda sua tradução...."vou manter meu pássaro azul dentro do meu coração e vou cantar com ele..."
    Tudo de bom...abraço...Roserlei

    ResponderExcluir
  10. Amei Ricardo. Lindo o poema bem como a animação. Beijos. Martinha

    ResponderExcluir
  11. Achei o poema meio triste, profundo, mas bonito.

    ResponderExcluir
  12. Obrigado por partilhar o poema e o vídeo, Ricardo.

    Não estou muito no clima do azulão, mas são tocantes o vídeo e sua tradução.

    ResponderExcluir
  13. Valeu Ricardo.

    Gostei muito!

    Da tradução e do vídeo.

    Valeu.

    noutrupe@

    ResponderExcluir
  14. Caro Ricardo:
    O inigualável Bukowski encontra em ti um eco, com quem partilhar o pungente canto do pássaro azul. É como se abrisse o peito para deixar pousar por momentos o bluebird no teu coração, irmão de alma, embora distante no tempo e lugar. E transporto para cá este encontro, incluindo nosso Ovalle, a entoar:
    "Vai azulão, azulão, companheiro, vai!"
    E eu quase choro...

    ResponderExcluir
  15. querido ricardo,
    gracias por tão belo presente....
    fiquei super comovida.....
    beijos e parabéns, mais uma vez, por esta
    necessária iniciativa poética em nossa cidade.
    Maria Lidia.

    ResponderExcluir